Pride

A travesti mais bonita do Brasil

“Patrícia diz que preconceito é fruto da inveja”

“Não sofro preconceito por ser travesti. Sofro preconceito por ser bonita”, afirma Patrícia Araújo, a modelo de 25 anos que abalou os desfiles do “Fashion Rio”, em 2009, foi personagem da revista feminina Marie Claire e figurou em séries da “Rede Record”. Agora, ela acaba de receber o título de “Travesti mais bonita do Brasil” pelo portal “Virgula”.
.
Na tarde de sexta-feira, 17, era possível ver a carioca com pinta de panicat nas ruas de São Paulo. Em uma escadaria da Rua 13 de maio, vestia um maiô pink e exibia sensualmente a cintura fina, o cabelo esvoaçante e as pernas looongas – Patrícia tem 1,80m de altura! – para um fotógrafo. Isso sem falar do rosto… Delicado e marcante. 
.
Os homens, muitos que não sabiam de seu “segredo”, se reuniam e não poupavam assobios, fotos e elogios. “Que mulher linda”, gritavam em torno da beldade. Embora o frisson em torno de personalidades trans ultrapasse 20 anos, a popularidade de Patrícia remete (inevitavelmente) à transexual Roberta Close e a travesti Thelma Lipp, figuras conhecidas dos anos 80.
.
“Hoje, muita gente me compara a Roberta, inclusive várias amigas dela. Falam: “vocês são diferentes fisicamente, mas tem aquela mesma coisa de chegar e parar o ambiente”, afirma Patrícia, que se inspira em Deborah Secco e Luiza Brunet. “Acho que a Deborah é a mulher fatal. Gosto do trabalho, também a conheci pessoalmente, é uma fofa”, diz.
.

“Sempre querem me alfinetar: ‘não é
mulher, é travesti’. Mas não tenho
problema com isso. Sei o que sou
e sou muito bem resolvida”

Fazendo caras e bocas, a modelo, que se tornou travesti aos 13 anos e já venceu os concursos Miss Brasil Transex 2002, Miss T-Girl World 2004 e o Miss Universo Trans, posava para o ensaio mais ousado do site “Virgula Girl”. É a primeira travesti a figurar no Portal, que geralmente traz ex-BBBs (Maria Melilo), panicats (Jaque Khury, Aryane), e outras assistentes de palco.
.
Reconhecida pela beleza, Patrícia diz sente na pele o preconceito. “O preconceito está muitas vezes associado à inveja. É por isso que digo que sofro inveja de algumas mulheres. Às vezes estou em uma loja e uma mulher chega com o marido, dá um olhar de inveja, depois começa a rir… Querem alfinetar: ‘não é mulher, é travesti’. Mas não tenho problema com isso. Sei o que sou e sou muito bem resolvida”, afirma. 
.
Sobre os títulos e o mais novo ensaio, ela confessa que encara como a conquista de sua feminilidade: “Nasci um menino, com corpo de menino e espírito de mulher. E hoje sou vista como uma figura totalmente feminina e admirada por isso. Não é aquela coisa de vaidade, é mais uma questão de vitória. Eu consegui, consegui meu espaço. É maravilhoso”, conta.
.

Matéria foi home do portal “Yahoo!”


Ensaio foi destaque no programa “Manhã Maior” (RedeTv!)

Anúncios

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.