Realidade

Vídeo de pessoa sendo assassinada a pedradas e machadadas choca população LGBT


Por Neto Lucon

Um vídeo de um assassinato a machadada à luz do dia caiu nas redes sociais nesta quarta-feira (04). Nele, uma pessoa é violentamente agredida com blocos de cimento e pauladas. Ela tenta se desvencilhar dos ataques, mas acaba sendo assassinada com golpes de machado por cinco homens.

O crime chocou a população LGBT e logo circularam especulações de que a pessoa em questão seria um homem cis homossexual ou uma travesti em início de transição e que o crime teria acontecido em Fortaleza, Ceará, o que evidenciaria mais um crime por preconceito.

Buscando informações oficiais, o NLUCON ligou para diversas delegacias de Fortaleza – bem como o 34º Distrito Policial, o 2º Distrito e 11º Distrito – e não confirmou. “Chegamos assistir ao vídeo, que está viralizado no Whatsapp mas não temos nenhuma informação de que ele tenha acontecido aqui”, declarou o policial Holanda.

Militantes trans do Ceará, bem como Labelle Rainbow e Dediane Souza, receberam o vídeo, mas não confirmaram que se trata de um LGBT e nem o local que o crime ocorreu. Tanto Bruna Benevides, que é responsável por organizar o Mapa de Assassinatos de Pessoas Trans da Antra, quanto Sayonara Nogueira, que realiza o Relatório de Assassinatos de Travestis, Mulheres e Homens Trans, pelo Instituto Brasileiro Trans de Educação/ Observatório Trans, também disseram que, além do vídeo, não havia outras informações. 

Diante da repercussão, políticos pró-LGBT e a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará foram notificados. O NLUCON ligou para a SSPDS e a assessoria informou que eles estão investigando o caso e ainda apuram se o crime ocorreu no Ceará, se é recente ou não e de onde partiu o vídeo.

Vale dizer que o site “Esquerda Diário” foi o veículo que noticiou “Sob machadadas, Ceará tem possível vítima do transfeminicídio”, mas não confirmou de onde apurou a notícia. Disse apenas que ele remetia ao assassinato da travesti Dandara dos Santos, que foi morta com socos, pauladas e tiros em 2017 e que um vídeo também caiu na internet. Mas disse que não tinha a informação se era de fato de uma travesti. Já o site “Portal do Zacarías”, noticia que o “vídeo mostra homossexual sendo morto e machadadas”.

Reforçamos que independente dos boatos, que especulam até as motivações, um assassinato ocorreu a sangue frio em pleno dia, um vídeo explicita o crime e seus agressores. Ele evidencia a falta de segurança, a falta de crédito da Justiça, a certeza da impunidade e os tempos sombrios de violência, cujos assassinos se expõem sem qualquer tipo de intimidação. As especulações de que seria um LGBT é apenas um reflexo do pânico diante tantos crimes de ódio que esta população sofre, colocando o Brasil como um dos países que mais matam essa população.

Não vamos divulgar o vídeo, cuja violência é extrema. Em breve, novas atualizações.

(ATUALIZAÇÃO 04/01/2018 19H): Segundo o policial militar Marcos César Ferreira, que trabalha na área do 8 btl, o crime ocorreu no dia 30/12, às 14h na Avenida Santos Dumont, em Fortaleza. Não há nenhuma comprovação de que a pessoa seja LGBT. A informação é de que o crime tenha sido motivado por briga de facções em Fortaleza – saiba mais clicando aqui).  

Anúncios

2 comentários

  1. É terrível e injustificável a violência real ocorrida nesse assassinato! MAS, é terrível como divulgam o vídeo sem saber realmente O QUE ACONTECEU, especular que era um HOMOSSEXUAL sem ter certeza… com que motivo? Ouvi (sem ver!) o clip e em nenhum momento das conversas há algo sobre ser ou não Homosexual ou outra “qualificação” da vítima. Quanta IRRESPONSABILIDADE e SENSACIONALISMO. Quem replica, compartilha deveria ser punido!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.