Pop e Art

“Bixa Travesty”, com Linn da Quebrada, vence prêmio Teddy no Festival de Cinema de Berlim

Por NLUCON

O filme “Bixa Travesty”, que conta a história de Linn da Quebrada, venceu nesta sexta-feira (23) venceu o Teddy Award de “Melhor documentário de 2018” na Mostra Panorama do Festival Internacional de Cinema de Berlim. A categoria é específica para produções com temática LGBT e premiou a produção brasileira.

Dirigido por Kiko Golfman e Claudia Priscilla (Panorama), o filme apresenta uma artista que se define bicha, trans, preta e periférica. Nem ator, nem atriz, atroz. Bailarinx, performer e terrorista de gênero. A obra leva a jornada de Linn, a autoderminação, a resistência, os questionamentos, desconstruções e construções. 

Diretamente de Berlim, Linn comemorou a conquista nas redes sociais: “Bixa Travesty acaba de ganhar o prêmio de melhor documentário no Teddy Award. É o prêmio de todas as monas!!! A Europa é nossa bbys!!!”. O post tem mais de 1,4 mil curtidas no Facebook.

Às Vozes do Mundo, ela diz que “Bixa Travesty” é um filme necessário, pois se trata de uma ferramenta terrorista em que ela mesma se coloca em risco. “Coloco em risco minhas verdades engessadas. Estou disposta a destruir e mim verdades consolidadas, que não me fazem caminhar e me mantém estática”. Ela continua: “Estou disposta a matar o macho que existe em mim. A matar o branco que existe em mim. Toda criação envolve também uma destruição”.

O diretor Kiko afirma que o filme rompe com a ideia pré-construída da travesti, “mais próxima dos padrões imaginados para a mulher, com seios siliconados, sem pelos e certa feminilidade”. “A Linn rompe com isso totalmente. Ela não tem seios, não tem o menor desejo de colocar e não esconde o pênis e os pelos. É um novo corpo que tem a ver com o título do filme, pois não está nem na esfera clássica do feminino nem do masculino”, afirma.


Ele também diz que a artista teve participação importante na feitura do filme, muito além de ser uma personagem. “Com essa discussão atual sobre o lugar de fala, que pegou fogo no último Festival de Brasília, fizemos questão que ela participasse, indicasse personagens, locações e temas. Cada versão do roteiro foi discutida com a Linn”.

Durante as filmagens, por exemplo, Linn resolveu que iria fazer as sobrancelhas no salão e que a equipe deveria acompanhá-la. “De fato, lá encontramos uma personagem super importante, uma travesti clássica, fundamental para tratarmos da sua questão corporal”. Há também uma cena em que Linn e a mãe tomam banho juntas. “Achamos bonita e delicada. É um momento de afetividade e amorosidade entre duas pessoas”. 

Vale lembrar que atualmente Linn está com a turnê Trava Tour e que também se apresenta na Holanda, Portugal e Alemanha. Na França, além de cantar seus maiores sucessos, ela fará uma performance no desfile da marca Neith Nyer, do estilista brasileiro Francisco Terra. Como ela disse, a Europa é nossa, é dela! 

Assista ao trailer:   

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.