Pop e Art Pride

Artivista LGBT e cadeirante, Leandrinha Du Art é pré-candidata a deputada federal pelo PSOL

Por Neto Lucon 

A escritora, fotógrafa e artivista Leandrinha Du Art – um dos nomes atuais que representam a militância LGBT, as mulheres, pessoas trans e pessoas com deficiência – anunciou na última semana que é pré-candidata a deputada federal pelo Partido Socialismo Liberdade (PSOL).

+ Saiba quem é Leandrinha Du Art

A jovem de 23 anos se tornou nacionalmente conhecida pelas palestras, entrevistas, textos, fotos, ativismo e vídeos falando sobre ser uma mulher trans e cadeirante. Morando em Passos, cidade interiorana de Minas Gerais, Leandrinha leva a sua história de resistência para milhares de pessoas, que se conectam, refletem sobre a vida e comprovam que qualquer corpo é capaz de resistir, lutar, exigir e representar.

Ela afirma que aceitou ser pré-candidata pela necessidade de enfrentar e transformar o sistema, que está em um “período assustador de silenciamento do povo, censura, intolerância, acovardamento, retirada de direitos e profunda violência contra a democracia”. “Os grupos de pessoas que represento sequer são considerados como parte da sociedade para que suas demandas sejam atendidas”, diz.

A escolha do PSOL se deu após receber diversas propostas de outros partidos, filtrar, estudar e analisar com cautela e em coletivo. “Com sensatez, escolhemos o PSOL para construir e somarmos com a muitas de Belo Horizonte, visando outra forma de fazer política, horizontal, abraçando a diversidade e trabalhando coletivamente, sabendo que votou em umx, votou em todxs”, reflete.

MULHER, TRANS E CADEIRANTE

Segundo Leandrinha, pessoas com deficiência são entregues à própria sorte, sem qualquer garantia de qualidade de vida básica. As pessoas LGBTs são invisibilizadas pelo poder público. Já as travestis e pessoas transexuais são mortas e tratadas apenas como mais um número, apesar das estatísticas alarmantes que colocam o Brasil como o país que mais mata essa população no mundo. 

+ Leia nossa entrevista exclusiva com Leandrinha


“Mesmo atacados e atacadas diariamente, não nos calaremos diante destes retrocessos vividos. Nossa sociedade, diversa, clama por uma política verdadeira, feita pelo povo e para o povo, com seus reais representantes dentro do parlamento: protagonistas das lutas populares, pessoas que lidam diariamente com os anseios da sociedade e que sabem de verdade quais são nossas demandas”, afirma.

Ela admite que, por representar essas populações estigmatizadas e alvos de preconceito, a sua campanha, terá diversos desafios. “Ainda sofremos com espaços de poder dominados por homens brancos cisgêneros e heteronormativos, que descartam e deslegitimam tudo que está fora desse ‘padrão’. Por que não há nesses espaços pessoas jovens? Por que não há deficientes? Por que não há pessoas trans? Por que não há representatividade popular dos interiores do nosso país?”, questiona.

Apesar deste cenário, a pré-candidata afirma estar preparada para a disputa, sobretudo pelo espírito de coletividade e por acompanhar diversos grupos e coletivos que enfrentam movimentos retrógrados que barram projetos ligado a cultura, a mobilização das mulheres, pessoas com deficiência de “qualquer corpo que tenta lutar por melhorias no âmbito social”. “Me sinto pronta para ocupar de forma legítima, construtiva e honesta, esse lugar que segue dominado pela mesma corja”.

(Foto: Tassio Lopes)


Leandrinha revela se inspirar na força por mudanças que move a população cansada de ser traída por aqueles que deveriam representa-las. “É tempo de mostrar a nossa força enquanto agentes políticos e donos da nossa própria história. É tempo de saber que o povo que não governa é governado e que temos a chance de mudar essa realidade”, finaliza.

O partido ainda fará o lançamento oficial das candidaturas, mas não há data definida. A campanha deve começar em agosto.

Vale dizer que nas últimas eleições, houve um boom de candidaturas trans em todo o Brasil, com algumas vitórias, e ela deve se repetir neste ano. Até o momento anunciamos a pré-candidatura do servidor público Jordhan Lessa, que é homem trans e pré-candidato a deputado estadual do Rio de Janeiro (clique aqui), e da assessora da Coordenação de Direitos da Diversidade LGBT Paula Bennett, que é mulher trans e pré-candidata a deputada federal no DF (clique aqui).

Assista ao vídeo: 

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2FLeandrinhaDuArt%2Fvideos%2F1633896996646878%2F&show_text=0&width=560

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.