Pop e Art

Discussão sobre representatividade trans teve climão na Globo, informa colunista

Por NLUCON

A discussão sobre representatividade trans causou o maior climão na TV Globo. Tudo porque a próxima novela das 21h, “O Sétimo Guardião”, terá uma personagem transexual e, antes da decisão final, muita gente se dividiu no momento de dizer se a personagem deveria ser feita por uma artista cis, um ator cis ou uma atriz trans.

Segundo a colunista Keyla Kimenez, da KTV, o autor Aguinaldo Silva queria que a personagem trans fosse vivida pela atriz cis Renata Sorrah. Mas a direção da emissora defendia que a personagem deveria ser feita por uma atriz trans – uma boa oportunidade para incluir artistas trans no folhetim.

Inicialmente, Aguinaldo queria reviver Nazaré Tedesco, a vilã icônica de Senhora do Destino (2004). Porém Renata pediu para que o autor deixasse a vilã quietinha. Foi então que o escritor cogitou incluí-la na pele de uma vilã transexual que não queria mudar o nome de registro e já soltou o nome da atriz para o papel em diversas entrevistas.

Além de muita gente criticar a falta de representatividade trans na trama, a própria direção da emissora, “mais precisamente o manda-chuva da dramaturgia, Silvio de Abreu” não quis que a personagem fosse feita por uma mulher cis. Ele chegou a cogitar um ator cis, informa a colunista, mas bateu o martelo para a escalação de uma atriz trans.

O movimento de representatividade trans – isto é, que incluam e empreguem artistas trans e travestis nos trabalhos, sobretudo naqueles que visam discutir personagens com a mesma características – ocorre em todo o mundo. Neste ano, a atriz chilena Daniela Vega, mulher transexual, venceu um Oscar de melhor filme estrangeiro por “Uma Mulher Fantástica”, no qual foi protagonista. Já em Malhação, houve a primeira atriz que é mulher trans: Gabriela Loran

Aguinaldo começou, então, a mandar várias indiretas nas redes sociais. Em uma delas, trouxe uma imagem da atriz Charlize Teron no filme MadMax e escreveu: “Politicamente incorreto: pelas normais atuais Charlize Teron não poderia fazer Furiosa em MadMax3, pois ela tem dois braços e Furiosa só tinha um”. 


Depois publicou uma matéria: “Luta por representatividade limita a liberdade artística?”. Ele chegou também a dizer que não havia problema escalar uma atriz trans, mas que nenhuma era páreo para Renata.

Três dias depois da última postagem, no dia 10 de junho, o resultado de quem foi escalada foi anunciado à grande mídia: foi ninguém menos que… Nany People! Atriz, humorista, apresentadora, performer e, na vida particular, mulher transexual. Ela chegou a passar por testes e fez diversas reuniões antes de ser escalada. Até Renata Sorrah aprovou, em recente entrevista: “Tinha que ser uma atriz trans, tinha que ser a Nany”, comemorou a atriz. 

Diante da repercussão e a nova escalação, Aguinaldo minimizou a discussão e escreveu: “E a fila anda, queridos”. Ao anunciar as novas escalações, elogiou a escolha: “Terei um elenco afiadíssimo! Bruna Linzmeyer e Nany People farão ‘O Sétimo Guardião’”. Vrááá (agora tenha a imagem de Nany tradicionalmente batendo o leque).

A novela começa a ser gravada no dia 10 de julho em Capitólio, Minas Gerais. Pelo menos neste caso, houve vitória. 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.