Pop e Art

Kim Petras estrela 1ª capa de revista e faz revelações sobre carreira, Paris Hilton e transfobia da mídia

Por NLUCON
Foto: Charlotte Rutherford

A cantora e compositora pop Kim Petras, de 25 anos, acaba de estrelar sua primeira capa de revista, Paper. Ela é entrevistada por ninguém menos que a socialite cis Paris Hilton, que já havia trabalhado ao seu lado em um videoclipe, e falou sobre influências, carreira, público e transfobia na mídia.

Kim é canadense e tornou-se notícia em todo mundo quando realizou a cirurgia genital na adolescência. Tempos depois, mostrou talento no Youtube ao divulgar vídeos cantando covers e lançando algumas músicas. Aos 19, se mudou para Los Angeles, e foi atrás do seu sonho. No último ano, finalmente lançou hits como I Don’t Want It At All, Heart to Break e Faded, fazendo sucesso mundial. 

Na entrevista, Kim comentou que desde cedo soube que ninguém escreveria um grande sucesso do pop para ela cantar. Foi por isso que passou a adolescência toda em seu quarto escrevendo músicas, até que aos 13 se viu obcecada. “Fiquei tipo: Quero ser a próxima Max Martin. Eu queria encontrar do fórmula do pop”. A mudança para Los Angeles ocorreu depois que percebeu que não havia pessoas investindo ou arrasando no pop na Alemanha.

“Foi um pouco assustador se mudar para Los Angeles sozinha. Eu realmente não conhecia ninguém, mal tinha dinheiro e fiquei com um monte de colegas de quarto. Foi uma luta e uma verdadeira agitação. Eu estava trabalhando muito duro para conseguir alguma coisa. Há tantos compositores em LA, é uma loucura, mas é provavelmente a melhor decisão que já tomei. Realmente sinto que me tornei eu mesma e encontrei o meu som e cresci tanto em Los Angeles”, defende.

Em suas músicas, Kim Petras afirma que quer fazer as pessoas felizes e dançarem. “Esse é o meu objetivo”. Seus vídeos somam mais de 7 milhões de acessos e atualmente ela chega a fazer dois shows por noite. “Eu pensava sentada no meu sofá comendo batatas fritas: ‘Quando posso ser uma estrela pop e fazer coisas de pop-star? Agora estou fazendo isso e tem sido incrível, apesar de não ter muito sono envolvido”.

PARCERIA COM PARIS HILTON

No bate-papo, Paris chegou a perguntar por qual motivo Kim escolheu ela para o clipe de I Don’t Want It At All – música em que Kim venera Paris, aparece fazendo várias compras com cartões de vários homens, até que um não passa. Paris surge, a salva e começa a dançar ao seu lado.

A estrela respondeu: “Porque você é a melhor. Eu era uma super fã e ainda sou. Foi um sonho tão louco”, afirmou a artista, salientando que toda equipe aprovou a escolha.

Kim ainda disse que a presença de Paris Hilton na obra deu um empurrão significativo no vídeo e em sua carreira. “Fez com que muitas pessoas clicassem nele, então muito obrigada. Isso realmente ajudou muito na minha carreira e eu sou muito grata por isso”.

A socialite declarou que foi uma honra ter sido escolhida e que realmente ama o que Kim Petras faz, ressaltando que ela é criativa e uma verdadeira artista. “Foi uma honra fazer isso e eu me diverti muito. É um vídeo que viralizou muito, então obrigada por pensar em mim”.

BEIJO EM FRENTE ÀS CÂMERAS

A cantora também respondeu como foi dar seu primeiro beijo em frente às câmeras. Segundo ela, a cena é muito mais trabalhosa do que aparecer ser. “Estava realmente muito nervosa e escovei os dentes cinco vezes em uma hora e fiquei um pouco louca. Eu realmente estava com medo disso, realmente assustada”, disse.

No momento do beijo, tanto ela quanto o dançarino cis Julio se entregaram. “Todo mundo ficou assistindo e dizendo: “Quente, yeah!”. Então foi uma experiência divertida, mas totalmente não romântica de alguma forma”, pontuou.

Ela também elogiou o par romântico no clipe. “Julio é incrível. É um cara muito doce, então realmente fez tudo se tornar super fácil”.

SÓ QUEREM PERGUNTAR SOBRE MEUS GENITAIS

Segundo Kim, ela não quer restringir sua carreira ao fato de ser uma mulher transexual, ao mesmo tempo em que gostaria de servir de referência para outras pessoas. O problema é quando a mídia a trata de forma rude e só fazem pergunta sobre seus genitais.

“Às vezes faço entrevistas e as pessoas falam apenas sobre eu ser transexual, fazendo perguntas realmente estranhas e rudes. Na Alemanha, em uma entrevista de rádio, me perguntaram: ‘Você acha que faz melhor sexo com os homens porque já foi um?’. Me fez querer dizer: Ei, eu trabalhei muito, mudei do meu país natal para ser compositora em LA, passei os últimos 10 anos escrevendo músicas e vocês querem perguntar sobre meus genitais? Então, é um pouco frustrante e triste”.

Por outro lado, ela pensa em quanto poderia contribuir na luta trans. “Penso na pessoa que é como eu, que não enxerga alguma maneira de viver sendo menina e é intimidada na escola e fica com medo. Porque eu odiava o meu gênero. Chorei minha juventude toda porque não me identifiquei com meu gênero. E a taxa de suicídio é tão alta, então quero ser uma boa pessoa para ajudar a melhorar as coisas e dizer: ‘Ei, você pode ser transgênero e viver uma vida muito legal e ser uma pessoa feliz” Mas às vezes querem me transformar apenas em uma artista trans e, no final do dia, eu sou uma mulher. Eu sinto que deveria ser tratada da mesma maneira”.

Assista o clipe I Don’t Want It At All, com Paris Hilton abaixo:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.