Destaque Pop e Art Pride Uncategorized

Gabriela Loran volta com personagem trans em Malhação e tem cena importantíssima

Este slideshow necessita de JavaScript.

Gabriela Loran – a primeira atriz, que é mulher trans, a estrelar a novela Malhação – Vidas Brasileiras, da TV Globo – acaba de voltar para o folhetim adolescente para uma cena importantíssima falando sobre identidades trans, transfobia e vida.

Vivendo a personagem Priscilla Ferraz, uma professora de dança, ela vai ao colégio a convite dos alunos para participar de uma feira. Lá, afirma: “Além de ser professora de dança e atriz, eu também sou mulher trans com muito orgulho”, sendo aplaudida pelos alunos.

Depois, Michael (Pedro Vinícius) e Jade (Yara Charry) pedem para ela contar sua história e perguntam qual foi a importância de retificar a documentação. “(Retifiquei) pelo sangue do profeta. Gente, a retificação de nome é muito importante para nós, pessoas trans, porque nos assegura respeito e cidadania. As pessoas têm que respeitar a gente pelo que está no registro”.

Priscila explica o que é ser uma mulher trans: “Sou uma mulher que transcendeu o gênero que foi atribuído a mim no momento em que eu nasci. Por exemplo: Quando eu nasci, o médico olhou para mim e, segundo as referências que ele tinha sobre o sistema cruel e binário de gênero, ele disse: ‘você vai ser um menino’. Anos depois, em Copacabana, eu com cabelão, linda e maravilhosa encontrou o médico e disse: ‘Doutor, o senhor estava um pouquinho errado’”.

Ela também fala sobre a transfobia e diz que é muito difícil a vida de uma pessoa trans no Brasil, tanto pelo preconceito quanto pela hipocrisia: “Quando a gente decide assumir a nossa identidade trans, a nossa expectativa de vida cai de 90 anos para 28 anos. E o mais assustador é que eu, Priscila, vivo no país que mais mata pessoas trans e travestis no mundo. Em contrapartida é o país que mais acessa conteúdo pornográfico sobre esse público. É muita hipocrisia”.

O discurso é finalizado com ela dizendo que pessoas trans também são amor, respeito, que sangram e que também choram. “Parem de nos matar e nos permitam ser quem somos”.

Ao NLUCON, Gabriela conta que ficou surpresa com o novo convite para participar do folhetim e que adorou a oportunidade de reviver Priscila e também falar sobre assuntos e temas muito importantes na tela da Globo. Anteriormente ela esteve no núcleo de Leandro (Dhonata Augusto) e o ajudou na arte da dança e também a trabalhar preconceitos.

“Essa foi a minha primeira experiência na TV e tive a honra de pegar uma personagem tão EU, que fala sobre o meu universo e ajuda a tantas outras. A cena de hoje foi tão POTENTE pois tive a liberdade de falar sobre o quão difícil e real é ser trans! Quero agradecer imensamente as pessoas que fizeram parte disso”, disse Gabriela.

Assista a cena: 

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fnlucon%2Fvideos%2F1470595769707965%2F&show_text=0&width=560

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.