Pride Realidade Uncategorized

Kimberly Luciana Dias se emociona ao receber certidão com nome e gênero retificados no cartório

Este slideshow necessita de JavaScript.

A digital influencer Kimberly Luciana Dias, que é uma cidadã travesti, divulgou nas redes sociais que acaba de retificar o nome e sexo da Certidão de Nascimento. O procedimento foi feito diretamente no cartório, após a determinação do Supremo Tribunal Federal, que autorizou a autodeterminação e dispensou a obrigatoriedade de laudos, cirurgias e ação judicial.

“Quando sai do cartório, senti diversas emoções e vontade: de chorar, de ficar calada, de gritar de felicidade. Foi como um passarinho que ficou a vida inteira presa e que teve o direito de voar livremente para buscar o que sempre almejou”, afirmou ela em vídeo em seu canal no Youtube.

Ela disse que o procedimento levou duas semanas para ficar pronto e que até mesmo a escrevente se emocionou no momento de entregar a nova certidão. “Eu vi a emoção no olhar da escrevente e ela viu a emoção que estava em mim. Nós duas sabíamos que aquilo poderia ser um recomeço de vida. Ali me tornei uma cidadã brasileira, reconhecida em minha verdadeira identidade e gênero perante a lei”, se emociona.

Anteriormente, Kimberly afirmou ao NLUCON que só retificaria a documentação quando não houvesse tantas burocracias. “Como resistência, não submeti a mostrar laudo, ter testemunha, fazer cirurgia ou entrar com uma ação judicial, como pediam. Eu sou travesti há muitos anos e não tenho que provar isso. Fora que muitas vezes os juízes eram transfóbicos e só autorizavam a mudança do nome, não do gênero. Com a decisão do STF tudo mudou”, contou.

Ela afirma que jamais esperava vivenciar essa emoção. “Cheguei a pensar que morreria sem adquirir esse direito que sempre me foi negado e que foi negado à população de travestis ao longo da história. Dedico essa conquista a todas as travestis que morreram para que tivéssemos esse direito hoje em dia e que não tiveram essa possibilidade de serem reconhecidas em sua identidade e que as estão hoje rompendo as estatísticas”.

Vale lembrar que Kimberly realiza ativismo virtual (e também físico) desde a época do Orkut, nos anos 2000, quando era a moderadora de diversas comunidades. Hoje, ela tem diversas comunidades no Facebook, uma página de notícias e também conta com um canal no Youtube. Ela também esteve em diversas manifestações em prol dos direitos da população trans e travesti, performou em diversos palcos e até esteve em concursos de miss. Em entrevista ao NLUCON, falamos sobre sua trajetória.

Assista: 

Anúncios

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.