Destaque Psicólogo responde Saúde Uncategorized

“Quais desafios um homem trans enfrenta ao ser profissional de psicologia?”; Thomaz Oliveira responde

Gender

Está no ar a terceira edição da coluna “Psicólogo Thomaz responde”, com perguntas dos/das leitores e leitoras trans e travestis e a resposta do nosso psicólogo Thomaz Oliveira (CRP 06/145487).

Agora ele responde a pergunta de Daniel Coelho, que é estudante de psicologia e homem trans, e quer saber como é a experiência de um homem trans trabalhando na área da psicologia.

Quem tiver perguntas e quiser escrever, pode enviar um e-mail para holtneto@gmail.com com o título “Dúvidas Thomaz Oliveira”. A cada coluna ele responderá um tema ou pergunta. Caso prefira que seu nome não seja divulgado, garantimos o anonimato.

Vale dizer que Thomaz, que é homem trans, se formou na Universidade Paulista e atualmente realiza atendimento clínico para adolescentes, adultos e idosos sob a ótica psicanalítica. Paralelo aos atendimentos, Thomaz também realiza palestras sobre diversidade sexual e de gênero.

Segue:

Pergunta:

Oi, tudo bom? Eu sou homem trans e estudante de psicologia. Gostaria de saber como é a sua experiencia enquanto profissional de psicologia. Que desafios você enfrenta?

Resposta:

Oi Daniel! Antes de mais nada, queria te dizer que me dá um calorzinho no coração quando fico sabendo de mais pessoas trans dentro da Psicologia.

Mas, focando na sua pergunta: cara, falar dos desafios enfrentados por ser homem trans me leva quase que imediatamente para o meu período de graduação, sendo mais específico no meio dela, momento em que eu me assumi homem trans e comecei a perceber uma certa dificuldade por parte dos meus colegas em entender, o que para mim foi surpreendente, pois eu (inocentemente) acreditava que meu maior problema seriam os professores. Hoje, enquanto profissional sinto que meu maior desafio profissional é basicamente o mesmo enquanto homem trans: a falta de informação dos meus colegas cisgêneros.

Conforme eu ia compreendendo coisas sobre a minha própria identidade, crescia uma preocupação: como os psicólogos lidavam com as identidades que não eram cisgêneras? Coincidentemente (rs) o tema do meu grupo do TCC girava em torno disso. E nesse momento a minha suspeita se confirmou. Nosso objetivo era investigar se os profissionais de psicologia (da nossa região) sabiam sobre identidades trans e travestis, sobre os processos e sobre a campanha de despatologização promovida pelo próprio Conselho.

Na época, não havia resolução de atendimento de pessoas trans, mas o próprio Conselho Federal de Psicologia já tinha lançado diretrizes de atendimento de pessoas trans e travestis. Resumindo, 83% dos profissionais que nós entrevistamos não citam nada dessas diretrizes, o restante citou em parte dele. Sobre a campanha de despatologização do Conselho, 53% dos profissionais negou conhecer. Os resultados dessa pesquisa me fizeram e ainda fazem pensar no tipo de atendimento que algumas pessoas acabam recebendo por aí e o pior, sem nem saber (salvo as exceções, elas de fato existem). Acabo tomando essa questão como uma dificuldade profissional por respingar em mim enquanto pessoa trans e profissional da área.

Acredito que o processo psicoterápico é umas das coisas mais importantes atualmente no que se refere a saúde e qualidade de vida, mas se os profissionais não estão preparados para atenderem uma população sensível como a de pessoas trans, como esse serviço pode ser efetivo?

Espero ter respondido sua questão. Abraços.

Thomaz
Thomaz Oliveira responde perguntas dos leitores e leitoras trans e travestis

Outras perguntas:


Quem quiser participar, mande sua pergunta para holtneto@gmail.com com o título: “Dúvidas Thomaz Oliveira”. A cada coluna ele responderá um tema ou pergunta. Caso prefira que seu nome não seja exposto, garantimos o anonimato.


Contatos Thomaz:
Celular: (13) 99710-0882
thomaz.psicologia@gmail.com
fb/insta: @thomaz.psicologia

Anúncios

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.