Tiago Iorc e a Desconstrução da pós modernidade

xtiago3.jpg.pagespeed.ic.lVGD6wAgWM

A música Desconstrução de Tiago Iorc traz uma reflexão dura sobre o modelo de sociedade da qual vivemos, o modelo de sociedade descrita pelo filósofo Zygmunt Bauman, descrita como período de modernidade líquida, onde nada é sólido, nem as relações.

Tiago acertou com a música, fez uma leitura com voz adocicada e lágrimas nos olhos de quem a ouve. Tiago ficou um ano fora e quando percebemos voltou pronto para nos provocar uma autocrítica, dolorosa, mas necessária.

“Amanheceu tão logo se desfez
Se abriu nos olhos de um celular
Aliviou a tela ao entrar
Tirou de cena toda a timidez
Alimentou as redes de nudez
Fantasiou o brio da rotina
Fez de sua pele sua sina
Se estilhaçou em cacos virtuais
Nas aparências todos tão iguais
Singularidades em ruína”

Levando em consideração a crítica na música de Tiago também podemos perceber muitas pessoas que concordam continuam com a atitude descrita, assim como durante o desfile da São Paulo FashionWeek.

Após um dos modelos falecer de mal súbito, Rico Dalasam subiu na passarela e interrompeu com um discurso forte contra o desfile e a desumanização em relação a morte do modelo mas continuaram, aplaudindo feito num espetáculo espontâneo, pronto para as elites regozijarem.

* Igor Rodrigues é graduando em Psicologia, ativista político escritor.
Contato: igorartrodrigues@gmail.com \  Instagram: igor.psol

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.