“90% dos homens cis héteros sentem atração por mulheres trans e escondem”, diz Nacho Vidal

actor-director-porno-nacho-vidal-1552992496062

Nacho Vidal, o ator pornô cisgênero mais conhecido da Espanha, deu novas declarações sobre pessoas trans e relacionamento. Ele, que no último ano revelou ter uma filha trans, declarou em nova entrevista que 90% dos homens heterossexuais e cisgêneros sentem atração por mulheres trans e não expõem o desejo publicamente.

“Eu acredito que 90% dos homens gostam de mulheres transexuais e escondem”, declarou ele ao El Español. A entrevista é do fim de 2018, mas voltou a viralizar nas redes sociais nessa semana.

Segundo o ator, um reflexo desta atração pode ser visto até mesmo no universo pornô que realiza, uma vez que a pornografia com mulheres trans repercutem e trazem retorno muito maior que a pornografia com mulheres cis. Ele exemplifica em números: “Sai muito mais filmes com mulheres trans. Vendo cinco mil DVDs de um filme com garotas (cis) e 125 mil com (garotas) transexuais”.

O dado pode ser aplicado também no Brasil. Segundo o levantamento do site de vídeos pornôs RedTube, o Brasil é o país que mais procurou conteúdo adulto com travestis e mulheres trans em 2016. “Você tem 89% mais chances de pesquisar sobre transexuais se estiver no Brasil”, diz a pesquisa do site. Dentre os termos mais usados são “shemale”, “trans”, “travesti” e “brazilian shemale”.

Para ele, os homens evitam falar sobre a atração por pessoas trans porque sentem medo de que se tornem alvo do preconceito da sociedade em relação à população trans. “Eles (os homens) escondem isso porque não querem que as pessoas apontem o dedo para eles”. Vidal declara, contudo, que não gosta de se rotular: “Eu odeio rótulos: ‘Eu não gosto de ‘sou hétero, sou gay, sou trans, sou bi’. Eu sou. Há muito tempo disse: ‘Eu sou e sou quem eu quero ser’”.

Vale dizer que o fato de homens héteros cisgêneros sentirem atração por mulheres trans e travestis não é novidade. Até porque: mulheres trans e travestis também são mulheres – independentemente do genital de nascimento. E a relação trata-se de uma relação heterossexual, uma vez que envolve pessoas de gêneros diferentes: um homem (cis ou trans) e uma mulher (seja ela cis ou trans). O problema é que, em uma sociedade cisnormativa e transfóbica, a identidade de gênero da mulher trans ou travesti é constantemente deslegitimada e, como esta sociedade também é homofóbica, seus parceiros não querem ser vistos como gays.

Contudo a entrevista de Vidal ajuda a traçar perfis, tira o véu da hipocrisia e entende o lugar onde querem e aceitam as travestis. Muitas declaram que a transfobia social a fazem ser constantemente preteridas às mulheres cis ao mesmo tempo em que são constantemente procuradas até mesmo pelos homens que as condenam.  Vale lembrar que 90% está inserida na prostituição, muitas por falta de opção no mercado formal. E que os crimes transfóbicos são geralmente feitos por homens cis, sendo que grande parcela teve relação com a vítima antes do crime e se apoia na justificativa de que não queria que ninguém soubesse. É para refletir.

Leia também:

+ “Muitos dos que nos criticam são os que nos procuram à noite”, diz Veronika Havenna

+ “Não tenho medo de expor que sou casado com uma travesti”, diz Rafael Dantas, marido da Geovanna Soares


Acredita que o jornalismo é uma importante ferramenta contra o preconceito?

Apoie o site independente NLUCON e contribua com o financiamento coletivo para quitar os gastos com a produção de notícias, entrevistas e vídeos. Sua colaboração é fundamental para a existência deste site. Clique aqui.

Um comentário sobre “ “90% dos homens cis héteros sentem atração por mulheres trans e escondem”, diz Nacho Vidal

  1. Este recorte é tão doloroso, e trás tantos problemas para as mulheres héteros (não vou ficar falando trans, é mulher, pronto!) pois muitas meninas, mais novas, vão se sujeitando a relacionamentos abusivos para ter uma companhia masculina. Desta hipocrisia também surge grande parte da violência que sofremos e de como há um afunilamento, que é até suposto, à genitália.

    É suposto pois, até se ver qual é a genitália da pessoa, não se sabe, não se conhece o modelo daquela genitália, ou se aconteceu uma CRS. Então há uma hipocrisia muito forte, e tem muita coisa relacionada cuja base, é claro, vem da educação para a masculinidade tóxica, vem de uma postura machista que não permite lidar com as emoções, externá-las, trabalhá-las… E tudo isso, todos os estudos sobre isso, vem confirmando que o único produto desta educação social é a violência. Que atinge homens e mulheres de quaisquer espectros sexuais.

    E neste ponto a transfobia acontece em uma linha de nuances, é interessante observar como às vezes as pessoas se afastam, como invalidam. No caso de homens, quando tentam uma aproximação “com interesses” e depois se afastam de uma forma bastante marcante. E no fim isso acaba tendo uma dimensão maior até, pois é um comportamento que atinge mulheres de todos os tipos. A mulher negra muitas vezes fica em uma situação semelhante, pois por racismo muitos homens não assumem uma relação afetiva com uma mulher negra, mesma coisa para mulheres indígenas, de certa forma um pouco semelhante para mulheres independentes e donas de suas vidas. É uma questão crônica, de violência, de hipocrisia, de descaso…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.